Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Pererecas em Chamas

Pererecas em Chamas

15.Out.17

Os Manos

Amor de irmão

irmaos.jpg

 

Ser a irmã caçula é receber doações... Doações de abraços, de ciúmes, roupas usadas e de conselhos. Ah, as doações de conselhos... Da minha irmã, dez anos mais velha, eu recebi conselhos sobre moda e maquiagem: “Mas eu não gosto desse negócio no meu olho, Mana!" Quando se é uma garotinha de dez anos, sombra azul não é muito apropriada. Irmã mais velha não entende certas coisas... serviços Ela também não entendia que eu odiava aquele topete no meu cabelo: “Está na moda, Creu". E lá vai a pequena Creu pra festinha, se sentindo um ET com aquele topete de Capacol na cabeça. A Mana ficava feliz quando acabava de me arrumar, dizia que eu estava perfeita e eu não acreditava muito, mas ela devia saber o que estava falando, era linda e sempre impecável. Irmã mais velha é um LUXO! (By Lady).

 

Hoje, quando vamos juntas comprar bijuterias, ela vai direto aos anéis gigantes... Eu vou aos menores. Ela adora colares com badulaques e coloridos... Eu prefiro as correntinhas, sempre de prata. Ela quer que eu leve a dourada: "Mas eu não gosto de coisa dourada, Mana!" É... Tem coisa que não muda nunca! Mas eu adoro os conselhos da minha irmã e sabe... Hoje até sigo alguns por vontade própria. Meu irmão, oito anos mais velho, despertou em mim o gosto pela leitura. Tudo bem que me deu "Feliz Ano Velho" pra ler quando eu tinha apenas nove anos e eu não entendi muita coisa, como por exemplo, a parte em que o autor diz que simulou um coito com a namoradinha... Só tinha ouvido essa palavra naqueles documentários sobre a vida animal, achei muito estranho! Mas meu irmão foi consertando e me deu livros infantis. Tive que reler Feliz Ano Velho depois... É por influência dele também que gosto de rock, MPB e jazz instelikes (eu era a única criança na escola que conhecia Diana Krall).

 

Foi ele quem me apresentou o Queen e serei eternamente grata por isso. Por influência dele também que me atrevi a discutir política junto com os homens, no almoço de domingo. E foi ele quem deixou todas as versões do Kamasutra gravadas no meu computador, fazendo com que minha mãe tivesse um princípio de infarto pensando que fosse eu.

 

Ele me fez ir buscar a bola do outro lado do muro e tirou a escada pra me fazer perder o medo... Fiquei lá em cima chorando por 15 minutos e ele não colocou a escada de volta, quase arrebentei o meu pé! Continuo com medo de pular o muro... Ele sempre teve essa fixação pra me fazer perder o medo das coisas. Mas eu sou uma medrosa convicta! Nem vou contar sobre episódios ocorridos quando ele me ensinava a nadar, andar de bicicleta ou dirigir... Meu outro irmão, cinco anos mais velho que eu, me ensinou na prática a dividir o computador, a TV e as contas a pagar (esta é a parte chata). A assistir programas de futebol e sair pra comprar a camisa do Palmeiras. Muito contrariado, ele me levou pra primeira balada da minha vida e virou meu acompanhante. Não me deixa nem quando vou ao banheiro, me espera na porta de braços cruzados. Já me acostumei com isso. Mas é fogo! Sempre pensam que ele é meu namorado... Por causa dele me enfiei no meio de uma briga que ninguém sabe como começou, mas que acabou comigo agarrada nas costas de um cara com quase dois metros e gritando: "Larga o meu irmãoooooooooooooo!" O cara nem notou a minha presença lá... Adoro ser a caçula de casa. Mesmo quando os três se juntavam, empresas de mudanças portugal me jogavam no chão e faziam cócegas até eu chorar de tanto rir. Mesmo quando pediam que eu saísse do quarto para conversarem coisas de "irmão grande". Mesmo quando me chamam de apelidos que eu odeio, ou quando arquitetam formas de constrangir qualquer amigo-homem que vá à minha casa e falam coisas tipo: “Você sabia que a Creu gosta de homens feios? Talvez você tenha alguma chance com ela.” Eles adoram me ver com cara de “vou-te-matar-assim-que-ele-sair-pelo-portão”